domingo, 5 de setembro de 2010

CHRISTOPHER NOLAN | BATMAN - O CAVALEIRO DAS TREVAS

BATMAN ENFRENTA O CORINGA




BATMAN - O Cavaleiro Das Trevas de Christopher Nolan ( A Origem) é provavelmente a melhor adaptação de quadrinhos (também empatado com a versão original de 1978- do Superman direção de Richard Donner) para o cinema, uma continuação muito superior ao Batman Begins
que já era bom (depois das minhas revisões - no começo ainda não achava), reunindo a mesma equipe, incluindo diretor e ator Christian Bale como Batman/Bruce Wayne definitivo e até mesmo uma rápida aparição do vilão do filme anterior, Cilian Murphy, o Espantalho, e que traz uma esplêndida interpretação de Heath Ledger

como o novo e jovem Coringa, que pasmem, está melhor e diferente daquele criado por Jack Nicholson e Tim Burton, no Batman de 1989. O ator australiano, falecido em 22 de janeiro de 2008 em consequência de overdose de medicamentos, teria ficado pertubado com a profundidade que teria mergulhado num personagem sombrio, louco e perverso como este Joker, que é um anárquico, um profeta do caos, daqueles que gostam de ver o circo pegar fogo. O fato é que o ator realmente fez todas as opções corretas, sem nunca cair em exageros ou caretas, com uma maquiagem borrada (desenvolvida por ele mesmo), criando um tom de voz soturna e mergulhando até o fim na autodestruição. Ganhou um Oscar póstumo e realmente merecido, mas sem dúvida carregado de ironia e tragédia.



Heath é o ponto alto do filme, ofuscando o herói (que ao menos tem uma saída bonita como O Caveleiro Das Trevas) de um filme de poucas falhas. Seu maior problema nem chega a ser o fato de ser longo, difícil e pesado. A única coisa que não convence, depois de assistí-lo de novo com mais atenção, ao que parece porque o roteiro não desenvolveu as cenas para isso, é a mudança brusca e apressada de comportamento do promotor honesto e idealista feito por Aaron Eckhart (outra besteira é não mostrar o verdadeiro personagem que é negro - na versão de Burton era feito muito bem por Billy Dee Williams [que não virou Duas caras]) , que apesar de ter sofrido perdas não deveria mudar tanto de lado e atitude, o efeito especial no caso é muito bem feito e convincente, sem entrar em mais detalhes e a maquiagem do Duas Caras ficou ótima (mas insisto que deveria ser como nos quadrinhos originais e fazer dele por um ator negro poderia ser Samuel L. Jackson e deixar o Duas caras no próximo capítulo e solo).



Mas as mudanças boas foi mudar a atriz (não temos mais que ver a Katie Holmes inexpressiva e garotinha) Assim sendo, Maggie Gyllenhaal esta bem mais convincente. De fato o resultado final faz justiça à figura de Batman, conforme a revisão de Frank Miller. Ou seja, mais do que nunca não é um super-herói, não tem super poderes, é um homem comum e com problemas internos e aparece cheio de marcas e cicatrizes, além de ferimentos, que usa sua fortuna e o que há de mais moderno em tecnologia para enfrentar os bandidos que infestam Gotham City (não Nova York aqui, mas Chicago!), que no caso são mafiosos, que ao terem seu dinheiro roubado ( e que ficou nas mãos de um bandido de Hong Kong), "contratam" o Coringa para matar Batman e livrá-los dos poucos policiais honestos da cidade, liderados pelo Tenente Gordon - Gary Oldman, na interpretação mais discreta (já que ele se dá melhor fazendo bandido no cinema) de sua carreira, nem por isso menos eficiente e importante na trama - e o promotor público Harvey Dent (Aaron). O filme começa com uma sequência muito forte e eleborada de assalto a banco e depois não deixa cair. O diretor Nolan optou por rodar as quatro sequências de ação e outras tantas pelo sistema de tela gigante IMAX ( o que lhe da maior qualidade literalmente) e o resultado é impecável. Bale aprimorou-se finalmente do personagem Batman e utiliza não apenas o BATMOBILE, mas também uma inovadora motocicleta. O filme é repleto de perseguições, trombadas e lutas, muitas delas feitas de maneira tradicional. Mas o importante é o clima verossímel e sombrio, soturno, até mesmo trágico da história, muito diferente, até mesmo oposto daquele criado por Tim Burton e depois exagerado por Joel Schumacher, na quadrilogia original. É outro tipo de filme, menos heroico, pouco idealizado, mas muito rico em sugestões e temas (o mais inteligente seja o das bombas colocadas em navios de fugitivos da cidade, vejam para entender). Foi fenomenal sucesso de bilheteria e sem dúvida é o melhor Batman.




BATMAN - O Caveleiro Das Trevas

'The Dark Knight'

EUA - 2008

Ação

152'

✩✩✩✩✩ EXCELENTE



WARNER BROS. PICTURES Apresenta
Em associação com LEGENDARY PICTURES Uma Produção SYNCOPY
UM FILME DE CHRISTOPHER NOLAN
Estrelando:
CHRISTIAN BALE  MICHAEL CAINE   HEATH LEDGER
GARY OLDMAN   AARON ECKHART    MAGGIE GYLLENHAAL    E MORGAN FREEMAN
Co Estrelando:
Monique Curran. Eric Roberts. Anthony Michael Hall
Chin Han. Joshua Harto e Cillian Murphy
Música de HANS ZIMMER e JAMES NEWTON HOWARD
Figurinos por LINDY HEMMING Editor LEE SMITH
Cenografia por NATHAN CROWLEY Diretor de Fotografia WALLY PFISTER
Produtores executivos
BENJAMIN MELNIKER. MICHAEL E. USLAN. KEVIN DE LA NOY. THOMAS TULL
Baseado nos personagens de BATMAN criados por BOB KANE e publicado por DC COMICS
História de CHRISTOPHER NOLAN. DAVID S. GOYER
Escrito Por
JONATHAN NOLAN. CHRISTOPHER NOLAN
Produzido Por
CHARLES ROVEN. EMMA THOMAS. CHRISTOPHER NOLAN
Dirigido Por
CHRISTOPHER NOLAN

10 comentários:

alan raspante. disse...

Rodrigo, preciso ver este filme inteiro. Já peguei ele uma vez e vi apenas trchos, mais claro, deu pra ver a excelente atuação de Ledger, qye ficará mesmo imortalizado com o seu Coringa!

Abs.

! Marcelo Cândido ! disse...

Quem morreu não foi Ledger
Mas sim o Coringa que estava dentro dele
Marcante e imortal
!!!
É o melhor Batman sem dúvidas
...

Reinaldo Glioche disse...

É um filme de imenso impacto e profunda ressonância filosófica. Acho que está a frente de Superman (embora a fita de Richard Donner para sempre terá a primazia).
Enfim, O cavaleiro das trevas é essa conjunção de superlativos que você aventou.
Só para discordar em algo, apesar da ideia interessante de ver Samuel L. Jackson como duas caras, acho que esse filme é irretocável. Dos poucos que podemos classificar como tal...
Abs

Clenio disse...

Realmente um filme de aplaudir de pé. Não sou fã de quadrinhos nem tampouco de filmes de super-heróis, mas Nolan ultrapassou esse conceito, criando entretenimento de primeira sem apelar para bobagens comerciais desnecessárias - piadas sem graça, por exemplo.
Concordo que a troca de Katie Holmes por Maggie Gylenhaal foi providencial e nem preciso dizer que Heath Ledger É o Curinga, eternamente - nunca gostei do Curinga do Jack Nicholson, confesso.

Abraço
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com
www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

pseudo-autor disse...

Um filme que subverte a essência dos quadrinhos a um nível inimaginável. Pena saber que o Ledger nunca mais nos presenteará com outra atuação magistral dessas. Enfim: uma produção lendária!

Cultura na web:
http://culturaexmachina.blogspot.com

vitor silos disse...

Grande análise Rodrigo! O cavaleiro das trevas é realmenten uma das melhores adaptações de quadrinhos já feita. Gosto muito da versão do Tim Burton, mas os dois tem visões diferentes, no final são grandes filmes.

Abraço

Vitor Silos
www.volverumfilme.blogspot.com

Gui Barreto disse...

Oi Rodrigo....nunca fui muito fã de adaptaçoes dos quadrinhos pro cinema. Pra vc ter ideia, não assisti nenhum filme do Batman até hoje..rsrsrs..mas falam muito do cavaleiro das Trevas msm...tenho que assistir...valeu a dica...abrs

Rodrigo Mendes disse...

ALAN: Assista na íntegra e depois escreva no Cigarros e Filmes! Abraços.

!MARCELO CÂNDIDO!: Não entendi. Como assim o Coringa que morreu?
Melhor Batman, pra sempre! Abraços.

REINALDO: Mas você acha que deveria ser uma ator negro? Lembrei agora do Chiwetel Ejiofor, também seria interessante como Harvey Duas Caras!E você também resumiu bem a obra de Nolan e de fato o Superman de Donner foi o pioneiro com a verossimilhança (HQ e Mundo Real) tanto que Nolan disse, ao fazer o Begins que queria se igualar ao filme de Donner, começando por uma escalação de elendo de estrelas capazes de dar muita personalidade nos papéis. O que sabemos que aconteceu. Abraços!

CLENIO: Realmente, este Batman atraiu pessoas de gostos alternativos. Como diz na contra capa do DVD: " Prepare-se para ficar impressionado". Abraços!

PSEUDO -AUTOR: É magistral essa essência dos quadrinhos que você afirma, O Cavaleiro Das Trevas teve a honra de ser um filme que ultrapassou os limites do feito técnico e artístico na medida certa. Graças a deus que foi com meu herói predileto.

RIP Ledger. Infelizmente ele não pode apreciar os prêmios e as ovações pessoalmente. Abraços.

VITOR: Obrigado meu caro!
De fato os filmes do Burton também são bons. Eu diria que Burton estilizou de uma maneira adorável de se assistir, enquanto Nolan fez algo tenso e policial partindo de uma ótima premissa e bom gosto, onde foi mais feliz em tudo.
Abraços.

GUI: Corra e assista!
IMEDIATAMENTE,rs!
Abraços!

Madame Lumière disse...

Bravo, meu querido amigo Rô. Sua resenha ficou esplêndida e honra o trabalho formidável que é Cavaleiro das Trevas. Gostei das nuances que você valorizou, principalmente falando de Ledger e Gyllenhaal, sem dúvidas, ele elevou a produção ao interpretar criativamente um vilão que tem luz própria e tem muita razão em meio à sua psicopatia. Já Gyllenhaal é bem talentosa, e está elegantíssima nesse filme.

Concordo que a virada em vilania de Duas Caras foi bem rápida, mas faz um certo sentido, sabe? Quantas vezes, homens e mulheres não mudam da água para o vinho, revoltados e traumatizados por uma vida injusta? Gosto de avaliar a mudança repentina dele com um excesso de raiva. Ele simplemesmente se revoltou por isso ele diz algo assim como 'só fui eu que me dei mal?".

Acontece... eu mesma já senti-me assim e fiquei má com a situação, rs!

Beijos saudosos!

Rodrigo Mendes disse...

MADAME: Darling que saudades da minha vizinha..agora que fui ver. Rs!

Quanto ao Duas Caras foi até impactante e um susto ver o Harvey já se transformando neste capítulo. Disse que não gostei muito no filme, mas de fato acontece no mundo que vivemos, como você aventou e que se resume na frase: 'só fui eu que me dei mal?".

Beijos darling!