segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Mel Brooks | O Jovem Frankenstein (1974)

Em memória de 
GENE WILDER (1933-2016)

Ele está vivo na memória dos cinéfilos. Uma magia que somente o cinema pode ofertar. Fiquei realmente arrasado ao saber que havia morrido no dia 29 do mês passado, aos 83 anos, este que é um dos atores que tenho em minha predileção. Ator, roteirista, diretor, enfim, um exímio artista a serviço da sétima arte.


Gene Wilder pode não ter tido grandes sucessos de bilheteria, mas era um rosto gentil e familiar. Um comediante astuto que interpretou grandes papéis. Como esquecer do seu imortal Willy Wonka? O primeiro filme que vi dele e o mágico de oz da minha geração: "A Fantástica Fábrica de Chocolate" (Mel Stuart, 1971) ainda um filme cult e emblemático. Como diretor, certamente seu filme mais comentado seja de fato "A Dama de Vermelho" (The Woman in Red, 1984), co-estrelado pela mulher nota mil Kelly LeBrook e famoso pela canção vencedora do Oscar "I Just Called to Say I Love You", de Stevie Wonder. Também não posso esquecer de citar sua primeira grande participação no cinema já no clássico "Bonnie e Clyde - Uma Rajada de Balas (1967, filme de Arthur Penn) e sua outra parceria de sucesso ao lado do também saudoso Richard Pryor (1940-2005): ("Um Sem Juízo, Outro sem Razão" - Another You, 1991 e principalmente  "Cegos, Surdos e Loucos" - See No Evil, Hear No Evil, 1989). Mas é sua associação nas comédias de Mel Brooks: "Primavera Para Hilter" (The Producers, 1968), "Banzé no Oeste" (Blazing Saddles - uma sátira do western) e principalmente este que irei comentar; "O Jovem Frankenstein" (Young Frankenstein - uma sátira dos filmes de monstros clássicos), ambos de 1974, seu maior triunfo. Não apenas como ator, mas roteirista. 

O Filme

"Young Frank" tem todos os ingredientes para se fazer rir e que a princípio possa parecer óbvio e infantil. Mas esta paródia totalmente rodada em preto-e-branco e dirigida por Mel Brooks em plena forma e criatividade é a evidência em película de como se deve fazer uma comédia verdadeira. Brooks é certamente o mestre e professor neste seguimento e principal precursor de sátiras de cinema que depois seria revisitada em filmes como "Airplane!" e "Todo Mundo em Pânico", citando alguns de distintas épocas.  


Desta vez (e sem dó nem piedade quanto ao politicamente correto) o clássico de Mary Shelley (uma das obras  mais revisitadas no cinema perdendo apenas para Drácula de Bram Stoker e que Brooks faria com Leslie Nielsen aquele que é seu último longa como diretor: "Drácula - Morto Mas Feliz", 1995) se transforma numa verdadeira visão da loucura com uma premissa escrita em formato de comédia de muito bom gosto e equilibrada, do prolífico de Brooks dentre suas outras obras que, de fato, apesar de cômicas, algumas delas são exageradas e por vezes escatológicas. O enredo é hilário e muito criativo. Ainda tentando se adaptar ao fato de ser neto do famoso Victor Frankenstein, o jovem neurocirurgião (meio "neurótico", desculpem o trocadilho) contemporâneo, lindamente interpretado por Wilder, Dr. Frederick Frankenstein, (que se pronuncia "Fronkunshteen",segundo nos dizem, aliás, uma piada que milagrosamente não chega a exaustão porque a cada tentativa de explicar seu nome, as caras e bocas de Gene valem a pena!), retorna ao castelo da família na Transilvânia (pasmem!). Com a ajuda do fiel corcunda Igor, o ótimo Marty Feldman (1934-1982), com os seus olhos esbugalhados, da bela moça do vilarejo Inga (Teri Garr, de filmes como "Contatos Imediatos do Terceiro Grau" e "Tootsie" que é engraçada sendo sem graça) e da governanta Frau Bleücher vivida por Cloris Leachman, tão gloriosamente sinistra que continuou desempenhando personagens semelhantes em mais dois filmes de Brooks (e nunca esqueço dela fazendo a Vovó cachaceira em "A Família Buscapé"!), ele pretende recriar o trabalho pioneiro de seu ancestral na reanimação humana. Quem seria capaz de prever a reação entre a exageradamente penteada (e consequentemente excitada) noiva de Frederick, Elizabeth (a ótima Madeline Kahn), e o Monstro (Peter Boyle, provavelmente o melhor intérprete depois do próprio Karloff)?

Gene Hackman faz uma pontinha em que rouba a cena como um cego solitário que cai no erro de oferecer sopa quente (creio que a cena mais engraçada de todas!) e um charuto à criatura não adestrada e com medo de fogo. Sátira exclusiva retirada da continuação: A Noiva de Frankenstein, 1935. E que é ainda mais querido do que o original. Uma sequência com toques originais extraídos da imaginação de James Whale, um dos diretores mais subestimados da indústria

Filmado no mesmo castelo e com equipamentos de laboratório originalmente usados no clássico de Whale (1931  - o primeiro filme), a atmosfera em geral reverencial da fita é quebrada - no sentido positivo - pela sequência de canto e dança com a música "Puttin on the Ritz", da qual participaram tanto o Monstro quanto o médico. Ao mesmo tempo uma grande tolice, convenhamos, e uma homenagem séria, O Jovem Frankenstein foi indicado até mesmo ao Oscar nas categorias de Melhor Som (criado por Gene S. Cantamessa) e Roteiro Adaptado para Brooks e Wilder. Por mim, poderia ter sido indicado (e vencedor) de Melhor Filme porque é simplesmente um deleite não somente visual, mas de intelecto humorístico como poucos na história do entretenimento. 

Eis uma singela homenagem ao grande e eterno Gene Wilder que agora descansa em paz (R.I.P.) 



Estados Unidos
Comédia
1h 46 min
Fox
★★★★★


Twentieth Century Fox Apresenta
UM FILME DE MEL BROOKS
YOUNG
FRANKENSTEIN
ESTRELANDO Gene Wilder
Peter Boyle  Marty Feldman
Cloris Leachman  Co-Estrelando:Teri Garr
Também Estrelando: Kenneth Mars
E Madeline Kahn Como Elizabeth
Produzido Por Michael Gruskoff
Roteiro e Adaptação Para a Tela Por Gene Wilder e Mel Brooks
Baseado em Personagens do Romance “Frankenstein” de Mary W. Shelley
Música de..... John Morris
Fotografia de..... Gerald Hirschfeld
Dirigido por
Mel Brooks
Uma Produção de Gruskoff/Venture Films, Crossbow Productions Inc E Joucer Limited © 1974


Nenhum comentário:

Acervo de Películas

00's 007 10's 20's 30's 3D 40's 50's 60's 70's 80's 90's Ação Adoro Cinema Akira Kurosawa Al Pacino ALIEN Almodóvar ANG LEE Angelina Jolie Animação ARNOLD SCHWARZENEGGER Arthur P. Jacobs Audrey Hepburn Aventura Batman Bela Lugosi Bernardo Bertolucci Bette Davis Billy Wilder Blake Edwards Blaxploitation Bob Fosse Boris Karloff Brian De Palma Bryan Singer Buster Keaton Carl Laemmle Carol Reed Cary Grant Cecil B. DeMile Chaplin Charlton Heston Christopher Nolan CINE TRASH Cine-Doc CINEASTAS Cinebiografia Cinema Asiático Cinema Europeu Cinema LGBT Cinema Marginal Cinema MUDO CINEMA PRETO & BRANCO Cinema Rodrigo Clássicos Clint Eastwood Comédia Coppola Crepúsculo CULTS Curta-metragem Daniel Craig DANNY BOYLE Danny DeVito Dario Argento Darren Aronofsky David Cronenberg David Fincher David Lean DAVID LYNCH David O. Selznick DC Comics Denzel Washington Disney Documentário Drama Drogas Eduardo Coutinho Eisenstein Elia Kazan Elvis Presley Épico Época Erotismo ESPECIAIS Fantasia Fatos Reais Fellini FERNANDO MEIRELLES FILMES IRREGULARES FOX FRANÇOIS TRUFFAUT FRANK CAPRA Frank Darabont Fritz Lang Gangsters Gene Wilder George A. Romero George Lucas George Miller George Stevens George Waggner Georges Méliès. Grace Kelly Greta Garbo Guerra GUEST SERIES Gus Van Sant Halloween Harold Lloyd Harrison Ford HARRY POTTER Henri-Georges Clouzot Hitchcock Home Video Homem-Aranha HQ INDIANA JONES Infantil Ingmar Bergman Irmãos COEN J.J. Abrams Jack Arnold Jack Nicholson James Cameron James Stewart JAMES WHALE Japão Jason JEAN-LUC GODARD Joan Crawford Joel Schumacher John Carpenter John Ford JOHN HUGHES John Huston John Waters Jonathan Demme Joon Ho Bong Kate Winslet Kevin Spacey KING KONG KRZYSZTOF KIESLOWSKI Lars Von Trier Lawrence Kasdan Leonardo DiCpario Liza Minnelli Luc Besson Luis Buñuel M.Night Shyamalan Marlene Dietrich Marlon Brando Martin Scorsese MARVEL Matinê Mel Brooks Melhores do Ano Michel Gondry Michelangelo Antonioni Milos Forman MONSTERS COLLECTION Monstros Musicais Nacional Noir NOUVELLE VAGUE O Senhor Dos Anéis Oliver Stone Orson Welles Oscar Outubro Das Bruxas P.T. ANDERSON Pam Grier Pânico Paramount Park Chan-wook Paul Verhoeven PERFIL PETER JACKSON Philip K. Dick Pier Paolo Pasolini Pierce Brosnan Piores do Ano Pipoca PIXAR Planeta Dos Macacos Policial Quentin Tarantino RIDLEY SCOTT RKO Road-Movie Robert Rodriguez Robert Wise Robert Zemeckis Roger Moore Rogério Sganzerla Roman Polanski Romance Sam Mendes Sam Peckinpah SAM RAIMI Sangue Scarlett Johansson Sci-Fic Sean Connery Sean Penn Sergio Leone Sessão Da Tarde Sessão Dinossauro Sessão DUPLEX Cinema MUDO Sessão Surpresa SESSÃO TRAILER Sexo SEXTA-FEIRA 13 Sidney Lumet Sofia Coppola Spielberg Stan Lee Stanley Donen Stanley Kubrick Star Trek Star Wars Stephen King SUPER HERÓIS Suspense Terror Thriller Tim Burton Timothy Dalton TOD BROWNING Tom Cruise Tom Hanks Tom Tykwer Trash TV UNIVERSAL STUDIOS Violência Wachowski Walter Salles Warner Wes Craven Western William Castle William Friedkin Wolfgang Petersen Wong Kar Wai Woody Allen